Sedentarismo pode prejudicar saúde do coração em longo prazo

Sedentarismo pode prejudicar saúde do coração em longo prazo

Você sabia que o sedentarismo é um dos principais vilões para a saúde do coração? Isso mesmo! Essa condição onde a pessoa não realiza nenhum tipo de atividade física permanente, além passar muito tempo sentado, sem disposição para realizar atividades cotidianas, pode causar impactos negativos na qualidade de vida e bem-estar das pessoas, além de aumentar o risco de muitas doenças.

Diversos estudos em todo o mundo comprovam essa afirmação. Segundo a Federação Mundial de Cardiologia, quem não se exercita apresenta um risco duas vezes maior de sofrer doenças do coração, além de desenvolver diabetes e pressão alta.

Um outro estudo publicado no periódico JAMA Network Open apontou que o fato de não realizar exercícios físicos regularmente provoca mais prejuízos do que o tabagismo, diabetes e doenças cardiovasculares.

Ainda de acordo com a Federação Internacional de Medicina Esportiva, a falta de atividade física causa uma menor demanda da função cardíaca, o que diminui a qualidade funcional do miocárdio.

Outro dado relevante sobre o assunto, do Ministério da Saúde, destaca que três em cada cem mortes registradas no Brasil no ano de 2017 podem ter sofrido influência da condição de sedentarismo. E não para por aí. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o sedentarismo é considerado o quarto maior fator de risco de mortes no mundo.

Esses dados são extremamente alarmantes. Pode-se afirmar que o sedentarismo é um problema que afeta milhares de pessoas em todo o mundo e causa consequências irreparáveis, principalmente para a saúde do coração. Isso porque uma pessoa sedentária, geralmente, aumenta a ingestão de alimentos, incluindo aqueles ricos em açúcar e gorduras. O resultado disso é um acúmulo de gordura na região do abdômen favorecendo o aumento de peso e de colesterol e triglicerídeos.

Além dos problemas ao coração, o sedentarismo pode causar:

• Redução da força muscular, já que os músculos não são trabalhados;
• Acúmulo de gordura no interior das artérias;
• Dores nas articulações, resultado do excesso de peso;
• Aumento do risco do Diabetes tipo 2 por conta da resistência à insulina;
• Roncos e apneia do sono.

Principais causas do sedentarismo

Alguns fatores favorecem o hábito sedentário de algumas pessoas. A rotina cada vez mais acelerada, as múltiplas funções dentro e fora de casa, a falta de tempo, dinheiro, além da praticidade em se deslocar de carro, pegar elevador, por exemplo, são alguns fatores que contribuem para o sedentarismo.

Qual a relação entre o sedentarismo e problema no coração

Em geral, o sedentarismo está diretamente associado a diversas doenças, como a obesidade, hipertensão, diabetes tipo 2 e alterações nos lipídios, todos fatores de risco que aumentam o risco cardiovascular, como a angina – quando ocorre o estreitamento das artérias que conduzem o sangue no coração -, infarto agudo do miocárdio, tromboses (coágulos sanguíneos nas veias), entre outros.

Portanto, não há como falar de sedentarismo sem relacioná-lo ao risco de doenças cardiovasculares. No caso das mulheres, as chances são ainda maiores. De acordo com um estudo australiano publicado na edição do periódico British Journal of Sportes Medicine em 2014, baseado em dados de mais de 30.000 mulheres entre 22 e 90 anos, apontou-se que à medida que as mulheres envelhecem, a falta de atividade física se torna o fator de risco dominante para problemas cardíacos.

Como acabar com o sedentarismo

Para quem está há muito tempo sem realizar nenhum tipo de atividade física, dar o primeiro passo é difícil. Porém, não impossível.

Nas primeiras semanas, o organismo já sente os efeitos positivos da realização de atividade física. Recomenda-se que sejam feitas durante 30 a 60 minutos, pelo menos cinco vezes na semana.

Mas, antes de começar qualquer atividade, confira as dicas abaixo:

• Realize uma avaliação física: é fundamental uma consulta com um clínico geral para análise das funções corporais, como força muscular, flexibilidade, fôlego entre outros.
• Comece aos poucos: essa é uma dica importante que ajudará a dar uma assiduidade a qualquer atividade física. É preciso respeitar os limites do corpo para evitar fadiga. Isso pode acabar reduzindo o estímulo para a prática do exercício.
• Escolha um exercício que te agrade: outro fator que faz toda diferença para acabar com o sedentarismo é escolher uma atividade que seja prazerosa e agradável para você. Portanto, é importante experimentar diferentes modalidades até encontrar aquela mais se adequa ao seu estilo. Assim, a atividade não será uma obrigação e sim momento de prazer.

Visite o nosso blog e saiba mais sobre esses e outros assuntos relacionados à saúde.

Conheça alguns suplementos para sua saúde.Sonsulte o seu médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *